Mundo

Maranhense preso com drogas na Tailândia pode ser executado por crime

Publicado às 13/09/17 09h50         2880

 COCAINA_1_(Medium)Maranhense Paulo Henrique Pires do Nascimento exibe capsula de cocaína que havia engolido

COCAINA_2_(Medium) Raio-X mostra as cerca de 100 capsulas de cocaína no estômago do acusado

 

O maranhense Paulo Henrique Pires do Nascimento, 27 anos, preso ao tentar entrar com 1,3 kg de cocaína na Tailândia pode ser executado se for condenado pelo crime de tráfico de drogas.

O porte e o tráfico de drogas são severamente punidos pelas legislações da Tailândia, Camboja e Laos. Em alguns casos, é aplicável a pena de morte como alerta o Itamaraty em seu portal.

O maranhense natural de Olho d’Água das Cunhas foi preso na última quarta-feira (6), no aeroporto de Bangcoc, enquanto tentava entrar no país com a cocaína escondida no estômago. A Informação foi confirmada pela família do suspeito nesta terça-feira (12).

Paulo Henrique foi detido após ter sido delatado por tráfico de drogas. A prisão aconteceu no momento em que ele pegava sua bagagem.

A polícia submeteu o suspeito a um teste de raio X, no qual identificou dentro do corpo do brasileiro uma centena de pequenos pacotes.

Após a análise, as autoridades confirmaram que a carga era cocaína, avaliada em cerca de 6,5 milhões de bats (R$ 605,5 mil).

Durante o interrogatório, o rapaz admitiu a acusação e confessou que devia entregar a droga no dia seguinte a um contato em um hotel da capital.

No estabelecimento, a brigada antinarcóticos prendeu outro brasileiro, Elsonias Coleta da Silva, de 35 anos, acusado de ser cúmplice. A polícia informou que o homem nega as acusações e não colabora com a investigação.

 



Fonte: Ascom





Veja outras notícias em portalsinalverde.com Curta nossa página no Facebook. Envie informações à Redação do Portal por WhatsApp pelo telefone (99) 98813-0035.

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIO



ENQUETE
Vale a pena fazer compras no período de "Black Friday"?



© 2013 - 2017. Todos os direitos reservados - Sistema Sinal Verde de Comunicação