Maranhão

Oficina e palestra encerraram as atividades da 12ª Semana da Justiça pela Paz em Casa

05/12/18 00h00         114

Uma oficina com o tema “Construindo uma cultura de Sororidade”, que trabalhou a união entre as mulheres na Unidade Prisional de Ressocialização Feminina, foi uma das atividades de encerramento da 12ª Semana da Justiça pela Paz em Casa, realizada no Maranhão pela Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça do Maranhão (CEMulher / TJMA), presidida pela desembargadora Angela Salazar.

A atividade foi realizada na manhã de sexta-feira (30), em parceria com a Unidade de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário do TJMA, com a participação de 15 internas e executada pelas psicólogas Edla Ferreira e Éricka Nascimento, da equipe técnica da CEMulher.

As internas foram estimuladas a trabalhar a união entre si, respeitando suas diferenças e particularidades, como forma de minimizar as vulnerabilidades, promover apoio mútuo e fomentar atitudes colaborativas e o pensar coletivo, a partir da perspectiva de gênero.

A metodologia da oficina temática contemplou dinâmica de apresentação, exibição de vídeos, contação de história e a confecção das bonecas Abayomis, de tradição africana, cujo termo significa “encontro precioso”. As bonecas foram escolhidas por sua simbologia: as mulheres negras quando vieram nos navios negreiros para as Américas, vendo o desespero de seus filhos, rasgavam partes de suas saias para confeccionar pequenas bonecas feitas com nós, para diminuir o sofrimento destes. É um símbolo de resistência e de amor, que representa dar ao outro o que se tem de melhor, ainda que com o mínimo de recursos.

“A atividade foi recebida com muito entusiasmo pelas internas, que aprenderam a técnica para futuramente fazer novas bonecas e presentear filho(as), familiares ou quem desejarem”, comentou Danyelle Bitencourt, coordenadora administrativa da CEMulher. Ela explicou, ainda, que o termo sororidade é uma palavra cunhada no âmbito do movimento feminista, como um sentimento adquirido em momentos de conquistas coletivas. Não há uma tradução literal para o português; usa-se irmandade como o equivalente ao sororité, em francês.

PALESTRA

Além da oficina com as internas na Unidade de Ressocialização, na tarde da sexta-feira também foi realizada palestra do projeto “Aprendendo com Maria da Penha no Cotidiano” no canteiro de obras da Construtora Engeplan Engenharia.

A palestra, voltada para 86 operários da construção civil, foi ministrada pela assistente social Josemary Almeida e psicóloga Edla Ferreira. Na oportunidade, os participantes receberam cartilhas informativas que abordam perguntas e respostas práticas sobre violência doméstica e familiar contra a mulher e a Lei Maria da Penha.

Veja as imagens das atividades da 12ª Semana da Justiça pela Paz em Casa no Flickr do TJMA.



Fonte: ASCOM





Veja outras notícias em portalsinalverde.com Curta nossa página no Facebook. Envie informações à Redação do Portal por WhatsApp pelo telefone (99) 98813-0035.

MAIS NOTÍCIAS


COMENTÁRIO





ENQUETE
É possível quitar a maioria das dívidas com o décimo terceiro salário?



© 2013 - 2018. Todos os direitos reservados - Sistema Sinal Verde de Comunicação